A diferença entre o PSYCH-K® e outras abordagens - Parte I

16/07/2018

Rob Williams, originador do PSYCH-K®
Rob Williams, originador do PSYCH-K®

Autorresponsabilidade 

Uma sensação crescente de impotência é evidente nas pessoas em todos os lugares. O resultado é que muitas vezes dependemos de "especialistas" para cuidar do nosso bem-estar mental, físico e espiritual. Paramos de assumir a responsabilidade pela nossa vida e entregamos essa responsabilidade para outras pessoas. É comum ouvir terapeutas de diferentes abordagens falar sobre fazer uma técnica em ou para um cliente. Essa noção de fazer algo em alguém traz consigo a implicação não tão sutil de que o terapeuta será responsável pelo que acontece durante a sessão e que o cliente vai desempenhar um papel passivo em seu processo de mudança. Em essência, o sucesso da sessão dependerá da habilidade do terapeuta e não de qualquer recurso que o cliente possa trazer à interação. Com o PSYCH-K é um processo de "fazer com" que depende predominantemente da sabedoria interior do indivíduo que busca mudanças. Ele é projetado para envolver e ativar os recursos internos das mentes subconsciente e superconsciente. Em parceria com um Facilitador de PSYCH-K, esta abordagem honra o poder e a responsabilidade dos indivíduos em fazer as mudanças que procuram.

Fonte: Rob Williams/https://psych-k.com/