Porque faço questão de conversarmos, antes.

11/01/2021

Muitos de vocês escolhem atuar na vida sob todos os aspectos dela adotando posturas que consideram mais adequadas. Eu exerço o mesmo livre-arbítrio quanto a minha postura profissional porque amadureci para isso (e porque também sou leal à minha visão pessoal). Vejo isso como saudável, enquanto muitas outras pessoas se pautam no script alheio e é infeliz...

Recentemente uma pessoa interessada (?) em meu trabalho, quando a orientei após contato me perguntando preço e informações que disponibilizo no site, respondeu que realmente não compreendia a razão de eu não passar preço por e-mail e que também não tinha problema, pois não estava mais interessada.
 
Eu também gostaria de entender o porquê  de uma pessoa interessada em se tornar melhor e mais feliz,  se incomodar por NÃO CONSEGUIR ACEITAR QUE SUAS DÚVIDAS, INCLUSIVE AS DE PREÇO, PUDESSEM SER SANADAS POR UMA CONVERSA POR TELEFONE, com toda a atenção que ofereço sempre quando solicito e peço/oriento que seja dessa forma.
 
Em outra oportunidade, num feriado, após esclarecer a uma outra pessoa de forma educada e atenciosa sobre a postura que adotei para o primeiro contato e solicitando que recorresse a meu site para obter a partir dali as informações de que necessitava, respondeu que eu deveria otimizar meu atendimento para facilitar para as pessoas.

Ora, sou eu mesma quem atualizo constantemente meu site com o objetivo de melhorar meus serviços desde quando você tiver seu primeiro acesso. E JUSTAMENTE PARA OTIMIZAR quanto aos esclarecimentos iniciais. Porque, imagine eu fazer toda a vez a parte que lhe cabe. Imagine que meu dia ia ser um copia e cola danado, e, sobretudo, uma comunicação com contato e acolhimento rasos e ineficazes. Sem falar que você não teria nem a oportunidade de ouvir, sentir e avaliar mais COERENTEMENTE o profissional com quem você estaria tendo a oportunidade de trabalhar com.

Assim, de maneira madura, transparente, honesta e verdadeira, que é a forma com a qual procuro me posicionar, escolhi conduzir do meu jeito o MEU trabalho e observo que, nem sempre quando nossos desejos e ou expectativas não são atendidas exatamente como gostaríamos, denota que isso ou alguém está sendo "mau" conosco de alguma forma. 

...Vou contar um segredo: o meu trabalho como facilitadora é também educativo quando provoca você para a autorresponsabilidade e isso começa com a nossa interação. E essa atitude está totalmente alinhada com os valores das técnicas que aplico

Espero de mim e da humanidade, cada vez mais, o reconhecimento de que AMADURECER nem sempre deixa a gente satisfeito. Mas pode ser extremamente eficaz para a nossa CURA.


P.S: Que este artigo possa auxiliar os mais resistentes e a incentivar reflexões positivas sobre como você também tem sido ou não leal à sua visão pessoal e a identificar o seu próprio processo de amadurecimento na vida, perante si mesmo e na interação com o próximo.

Karla Ramonda