Origem

 O autor do PSYCH-K® e o respaldo da Ciência

O PSYCH-K® foi desenvolvido em 1988 por Robert M. Williams como uma resposta à constatação de que as técnicas de aconselhamento convencionais, que dependem quase exclusivamente de "insight" e "motivação", raramente criam mudanças reais e duradouras.
Assim, inspirado por uma variedade de processos baseados na neurociência e incluindo diversas ferramentas, ele desenvolveu uma abordagem direcionada ao subconsciente capaz de provocar mudanças profundas e duradouras de forma rápida e fácil. 
Robert é psicoterapeuta e diretor do PSYCH-K® Centre International. Ao longo de sua carreira estudou várias modalidades ancestrais e contemporâneas para mudanças de vida. Seus estudos e busca pessoal culminaram em percepções o que levaram à essência do sistema.

Dr. Bruce Lipton e Rob Williams se conheceram em 1990, numa conferência em que ambos eram palestrantes. Ao acompanhar o trabalho de Rob e de ir além do conhecido pensamento positivo, Dr. Bruce incorporou as técnicas do PSYCH-K® em sua própria vida, apresentadas pela primeira vez a ele naquela ocasião. Desde então, ambos são parceiros em palestras de cunho científico-espiritual, validando a mudança de crenças limitadoras com as técnicas do sistema que se comunicam com o subconsciente.

Dr. Bruce é internacionalmente reconhecido por unir conceitos científicos e espirituais. Iniciou sua carreira científica na área de biologia celular. Obteve o título de Ph.D. junto à Universidade de Virginia, em Charlottesville, e passou a trabalhar no Departamento de Anatomia da Escola de Medicina da Universidade de Winsconsin em 1973.

Suas pesquisas realizadas na Escola de Medicina da Universidade de Stanford entre 1987 e 1992 também mostram que o ambiente, atuando através da membrana, é quem controla o comportamento e a psicologia das células, ativando ou inibindo os genes. Tais descobertas, que contradizem o preceito científico estabelecido de que a vida é controlada pelos genes, abriram as portas para uma das áreas de estudos mais importantes da atualidade: a ciência da epigenética.

Duas das maiores publicações científicas oriundas destes estudos definem as reações químicas moleculares que conectam mente e corpo. Diversos estudos e pesquisas realizadas por outros pesquisadores desde então vêm corroborando os conceitos propostos por Dr. Lipton. Fonte: Butterfly editora.